Downhill

Downhill, também conhecido pela sigla DH, é uma forma do ciclismo que consiste em descer o mais rapidamente possível um dado percurso. Essa é uma das variações mais radicais do ciclismo, na qual a agressividade nas manobras e a velocidade nas descidas dão o tom da modalidade.

No Brasil, as primeiras competições datam de 1991 e eram praticadas com bicicletas para o Cross Country (modalidade, na época, muito mais difundida que o DH). As pistas eram verdadeiros estradões de terra, com trilhas abertas sem grandes obstáculos onde se priorizava a velocidade. Com o tempo, essas pistas foram se tornando mais técnicas com a inclusão de single tracks (trilhas estreitas), pedras, drop-off (degraus altos), gaps (vãos a serem transpostos) e duplos (obstáculo composto de rampa de lançamento e rampa de recepção com um vão entre elas), ou mesas (o mesmo que o duplo só que com o vão preenchido). Fazem parte das dificuldades que também aguçam a técnica do piloto, raízes, valas, erosões e a lama. Estas dificuldades acabaram por desenvolver tecnologicamente a bicicleta e os equipamentos de proteções.

Uma das características mais chamativas das bikes de DH são as suspensões. Hoje, os modelos usados são os chamados de “full suspension”, pois possuem suspensão traseira e dianteira para absorver os impactos.

O Downhill Urbano, ou DHU, é uma variante do Downhill disputada dentro de cidades que são privilegiadas com um relevo acidentado. Assim, os circuitos combinam obstáculos naturais e artificiais, como rampas, muros e escadarias.

A migração do evento em circuitos com pista de terra para o asfalto serviu para divulgar melhor o esporte, pois o público passou a acompanhá-lo mais de perto, interagindo mais com a prova, o que conseqüentemente atraiu a atenção de mais pilotos e da imprensa mundial.